American Airlines reduz projeção de lucros devido a Boeing 737 MAX


Suspensão do uso da aeronave custou US$ 350 milhões do lucro estimado pela companhia aérea neste ano. A companhia aérea American Airlines reduziu nesta sexta-feira (26) sua previsão de lucro devido à crise do Boeing 737 MAX, que afetou suas operações e reservas.
A empresa americana estimou que o impacto lhe custou US$ 350 milhões de seus lucros estimados em 2019. A queda está relacionada à proibição deste modelo de aeronave de voar, decidida pelos órgãos reguladores em março, após dois acidentes fatais.
A decisão forçou a American Airlines a cancelar quase 15 mil voos e reprogramar a viagem de quase 700 mil passageiros.
Avião da American Airlines no aeroportode Manchester
Flickr/Riik@mctr/Creative Commons
Apesar do imprevisto, no primeiro trimestre, a American Airlines, que possui 24 aeronaves 737 MAX, anunciou um lucro líquido de US$ 185 milhões, 16,4% a mais que no mesmo período de 2018. As vendas totalizaram US$ 10,6 bilhões (+1,8%).
“Embora essas aeronaves representem uma pequena parte da frota da empresa, o impacto financeiro é desproporcional, porque a maior parte da receita de cancelamentos foi perdida, mas a maior parte dos custos permaneceu”, explicou a empresa.
A companhia aérea disse que espera que os lucros deste ano fiquem entre US$ 4 e US$ 6 por ação.