Ameaçado de extinção, lobo-guará encontrado em posto de saúde é devolvido à natureza em Ouro Verde; veja VÍDEO


Animal foi capturado em Panorama e solto, na manhã desta quarta-feira (26), no Parque Estadual do Rio do Peixe. Lobo-guará foi solto no Parque Estadual do Rio do Peixe, em Ouro Verde
Reprodução
Um lobo-guará foi solto no Parque Estadual do Rio do Peixe, em Ouro Verde (SP), na manhã desta terça-feira (26), pela Polícia Militar Ambiental.
De acordo com a polícia, o animal foi encontrado em um posto de saúde, em Panorama (SP), e foi capturado pelo Corpo de Bombeiros.
Posteriormente, o animal foi devolvido à natureza (veja o vídeo abaixo).
Lobo-guará é solto no Parque Estadual do Rio do Peixe, em Ouro Verde
Espécie ameaçada em extinção
O lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) é o maior canídeo da América do Sul. Um animal adulto chega a medir 1,30 metro de corpo, além de 40 centímetros de cauda, podendo atingir um metro de altura e mais de 20 quilos. É da família dos canídeos e pertence a um gênero composto por uma única espécie.
Seus parentes distantes do gênero Canis, como o lobo-cinzento e lobo-vermelho, só existem nas Américas, do México para o Norte, partes da Europa e da Ásia.
Apesar do porte e da aparência, é animal inofensivo ao homem, de comportamento dócil, e raramente há briga entre eles. O nosso lobo ‘bom’ vive em campos abertos, no caso do Brasil no Cerrado, Campos Sulinos, na Caatinga e na borda do Pantanal. Também pode ser encontrado na Argentina, Paraguai, Bolívia e numa pequena parte dos territórios do Uruguai e Peru.
O lobo-guará é onívoro, alimenta-se principalmente de roedores, pequenos répteis, caules doces, mel, aves e frutos. A gestação deste animal dura em torno de 62 a 66 dias, com ninhadas de até seis filhotes.
A espécie é considerada vulnerável e está ameaçada de extinção.
No passado, acreditava-se que a diminuição da população do lobo-guará no Brasil era decorrente da perda de habitat. Mas em 2005 o resultado de um encontro de pesquisadores revelou que o preconceito, desconhecimento e superstição superam a ameaça da diminuição do território.
O lobo-guará ainda é caçado para a retirada dos olhos como amuleto e por donos de propriedades rurais, com o argumento de evitar o ataque a aves e pequenos animais.
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.