Alfredo Del-Penho apresenta ‘Balada para Diego Maradona’


Veja a letra da música em que o artista e Luiz Antonio Simas exaltam com paixão o craque argentino. ♪ Morto na última quarta-feira, 25 de novembro, o jogador argentino de futebol Diego Maradona (1960 – 2020) já ganhou homenagem musical. Um tributo vindo do Brasil, país tradicionalmente rival da Argentina no campo do futebol.
O cantor, compositor e músico fluminense Alfredo Del-Penho apresentou na manhã desta terça-feira, 1º de dezembro, a Balada para Diego Maradona. Trata-se de parceria de Del-Penho com o compositor e historiador Luiz Antonio Simas.
Apresentada em vídeo por Del-Penho, em registro caseiro de voz & violão, Balada para Diego Maradona é composição acertadamente caracterizada pelo artista como “blues-balada-repente”.
♪ Eis a letra de Balada para Diego Maradona, composição em que Alfredo Del-Penho e Luiz Antonio Simas dão drible na obviedade ao perfilarem e exaltarem o mitológico craque argentino com paixão em forma de música:
“O jogo veio sisudo das europas
De bolas altas, para altas copas
Mas aqui as plantas são rasteiras,
São outros ziriguiduns e alaridos
E o passo de tango, e a ginga das capoeiras
Do deserto patagão às altas cordilheiras,
Transformou o jogo na vingança dos fodidos
A bola é uma dama cortês
Que baila com Diego Maradona
O tango da insônia do zagueiro inglês
Diante do artilheiro que, como galo de rinha,
Afronta o espaço, enlouquece a hora
Com as chuteiras entre nuvens e esporas
Ciscando o pesadelo da terra da rainha.
O diabo mora no meio do fogaréu
O anjo bate asas acima da fogueira
E se alimenta do calor da chama
Como se o inferno fosse a terra inteira
E o paraíso, entre o tango e a canção napolitana,
Fosse azul, não como o céu,
Mas como o chão da Bombonera
Tua alma, entre a álgebra e a lua rara,
É a América ébria de Gardel, Evita, Perón e Che Guevara
De milagres prenha e dos meninos rotos.
Teu futebol foi um túmulo de ateus:
Afinal como pode o pé de Exu canhoto
Viver no mesmo corpo da mão de Deus?”