Álbum inédito de Alaíde Costa, gravado em 1974 com participação de Guinga ao violão, ganha edição em outubro


Intitulado ‘Antes e depois’, disco tem repertório dominado por músicas de Astor Piazzolla e Milton Nascimento. ♪ Enquanto Alaíde Costa grava já anunciado álbum com produção musical de Emicida, um outro disco da cantora carioca chega ao mercado em outubro, em CD e em edição digital, em parceria dos selos dos produtores Marcelo Fróes (Discobertas) e Thiago Marques Luiz (Nova Estação).
Trata-se de álbum inédito, gerado a partir de gravação feita pela artista em 1974, nos Estúdios Eldorado, na cidade de São Paulo (SP), onde Alaíde reside há décadas. Intitulado Antes e depois, o álbum tem o toque luxuoso do violão de Guinga em algumas das 14 músicas que compõem o repertório do disco.
Encontrada por Thiago Marques Luiz em fita de rolo, a gravação foi restaurada por Anderson Cesarini – engenheiro de som de habilidades reconhecidas no meio fonográfico paulistano – para gerar som caracterizado como “perfeito” por Marques Luiz.
A música-título Antes e depois é de autoria do violonista e compositor Oscar Castro Neves (1940 – 2013), com quem Alaíde gravou álbum lançado em 1973, um ano antes de a cantora entrar no Estúdios Eldorado para registrar repertório em que predominam músicas de autoria de Astor Piazzolla (1921 – 1992), Gerson Nogueira – compositor carioca em atividade na década de 1970, mas de pouca visibilidade na cena musical brasileira – e Milton Nascimento.
♪ Eis, na ordem do álbum Antes e depois, as 14 músicas então recentes gravadas por Alaíde Costa em 1974, ainda no embalo da redescoberta da artista a partir do antológico dueto da cantora com Milton Nascimento que redimensionou o samba Me deixa em paz (Monsueto Menezes e Airton Amorim, 1951) em gravação feita para o álbum Clube da Esquina (1972):
1. Noturno nº 0 (Sueli Costa e Tite de Lemos, 1975) – música ainda era inédita em disco em 1974
2. Serearei (Hermeto Pascoal, 1972)
3. Nada será como antes (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, 1971)
4. Chega (Ivan Lins, 1974)
5. Chinga chilinga (Ruben Rada)
6. Antes e depois (Oscar Castro Neves, 1965)
7. Viola violar (Milton Nascimento e Marcio Borges)
8. Decaríssimo (Astor Piazzolla, 1962)
9. Diariamente (Paulo Girão e Gerson Nogueira, 1975) – com o violão de Guinga
10. Fuga y misterio (Astor Piazzolla, 1968)
11. Milagre dos peixes (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1973)
12. Última (Gerson Nogueira) – musica presumivelmente inédita em disco
13. Mariana (Gerson Nogueira) – musica presumivelmente inédita em disco
14. Atrás da porta (Francis Hime e Chico Buarque, 1972)