Agroinfluencers: os comediantes goianos e mineiros que mostram vida na roça no Instagram


Gustavo Turbarão, Jacques Vanier e Lucas Batt estão entre os agroboys cheios de seguidores e falam ao g1 sobre sucesso de vídeos com rotina pecuária ao som de piseiro. Novos influencers falam sobre humor nas redes com temas do interior
Garotos do interior de Minas Gerais e Goiás vêm usando o humor para mostrar nas redes sociais um pouco da rotina na roça e fazer dancinhas com hits do sertanejo e da pisadinha.
A receita dos agroboys é simples e já atrai milhões de seguidores. Entre os representantes, estão Gustavo Turbarão, Jacques Vanier, Lucas Batt, Fael Gomes e outros agroinfluencers.
“A gente veio com esse negócio de agroboy, que é o cara da roça, o menino da pecuária. Mas ao mesmo tempo, também sabe fazer uma dancinha, também tem um pé na cidade ali”, explica Jacques Vanier, comediante goiano de 30 anos e 3,8 milhões de seguidores no Instagram.
“O negócio começou a crescer bastante, mas foi natural. A gente nunca imaginou que fosse dar certo. E deu muito bom.”
Deu bom, e sem precisarem forçar sotaque ou mudar a rotina. Para os agroinfluenciadores, o sucesso desses perfis se deve a identificação do público.
Agroboys: Gustavo Turbarão, Jacques Vanier e Lucas Batt
Reprodução/Instagram
“Muita gente da roça, que não tinha ninguém para levantar a bandeira do interior, se identificou. E acho que esse foi o motivo maior da explosão dos agroboys”, opina o influenciador mineiro Gustavo Almeida.
Conhecido como Gustavo Tubarão, ele tem 21 anos e conta com 5,2 milhões de seguidores no Instagram. Nascido em Lavras (“porque em Cana Verde não tem hospital”), ele hoje divide seus dias entre Belo Horizonte e Cana Verde.
“Todo mundo tem um primo, tem uma prima, tem um tio avô que é do interior, que fala ‘porta, porteira, portão, uai, trem’. Então essa identificação faz com que tudo seja tão grandioso assim. E é muito bom você ter o poder de levar para as pessoas a rotina de uma roça, do meio rural. Porque quebra muito tabu”, diz Lucas Batt.
Conhecido como “Goiano”, o comediante tem 23 anos é formado pelo Instituto Federal de Goiás em Edificação e conta com 264 mil seguidores no Instagram.
Caipira californiano
Jacques Vanier começou a fazer vídeos para superar a saudade de casa durante um período que morou nos Estados Unidos. Formado em Engenharia Civil, ganhou uma bolsa de estudos na Califórnia, em 2017.
“Eu estava com aquela coisa que eles chamam de homesick. Queria desistir daquela vida dos Estados Unidos: ‘não, vou embora pra Goiás, esse trem não é para mim, não’. Aí falei: ‘preciso caçar uns trem pra tirar essas ideias da cabeça de desistir'”, relembra ele, citando como foi seu primeiro vídeo.
“Peguei meu chapéu, a camisa vermelha que eu tinha e fui numa rede de fast food que tinha perto de casa. Pedi uma pamonha e um pão de queijo para a mulher. Ela veio com um Big Mac. Aí filmei isso e postei na internet. Fui dormir. No outro dia que acordei, tinha mais de 1 milhão de visualizações o vídeo.”
Tubarão também usou o início de sua história como agroboy para superação. “Comecei a fazer vídeo de humor em 2017, em outubro, meio que para tratar uma depressão que eu estava passando. No, começo era uma terapia para mim, e que hoje virou trabalho.”
Gustavo Tubarão
Reprodução/Instagram
Ele conta que no início, tinha muita vergonha do sotaque, já que havia sofrido muito bullying no período em que morou em Belo Horizonte.
“Eu forçava um sotaque paulista porque na minha cabeça, eu não ia conseguir ir para frente com esse sotaque que eu tenho do interior de Minas. Aí eu forçava um trem paulista mesmo, para ver se dava certo. Depois que eu comecei a ser 100% eu nas redes sociais, começou a dar certo.”
Lucas já fazia humor fora da internet desde 2016, trabalhando com stand-up comedy. Com a pandemia, decidiu focar nas redes.
“Na falta dos shows, comecei a levar mais a sério a internet, com vídeos todo dia, elevando o padrão de qualidade”, explica.
Agro é pop
Com o crescimento da popularidade dos agroinfluencers, eles se aproximaram. Tornaram-se amigos e costumam gravar juntos. Jacques e Lucas até formaram uma “dupla sertaneja”, Bruto & Abeia, com dois clipes: “Kelly” e “Agroboy”, esse com quase 5 milhões de visualizações no YouTube.
Apesar do investimento, não pretendem seguir carreira musical:
“O negócio é que Goiânia é a terra do sertanejo. Inclusive, minha maior tristeza é ser daqui e não saber cantar. Não sei cantar. E nem irmão eu tenho para formar dupla”, diz Vanier.
“É uma brincadeira, porque eu não sei cantar, mas ali na hora, essa questão de computador, mexe na voz, e o trem vai”, explica Jacques. Os comediantes pretendem lançar uma nova canção até o final do ano.
“O sonho do meu pai era que eu fosse cantor sertanejo. Mas eu falei: ‘papai, eu quero ser humorista mesmo, quero levar alegria para o povo’. Mas eu não me vejo não fazendo música. Eu vou estar sempre criando, fazendo música, músicas sérias, músicas engraçadas, paródias”, completa Jacques.
Jacques Vanier
Reprodução/Instagram
Haters e depressão
Com o sucesso e o crescimento no número de seguidores, os haters também apareceram nas redes sociais dos agroboys.
“Nu… aparece gente cobrando dívida antiga, acha que não vai parecer hater? Tem alguns comentários que são maldosos, mas tem muita gente que manda comentário maldoso para chamar sua atenção”, diz Lucas.
“Às vezes, a pessoa é até fã, mas ela manda uma mensagem pra chamar atenção. É algo muito negativo”, analisa ele.
Jacques diz não ter muitos haters, mas fica “imaginando quem tem milhões e milhões, o tanto de hate que sofre.”
“Você tem que estar com a cabeça tranquila, tem que ter uma ajuda de psicólogo, de psiquiatra, tem que orar, pedir a Deus para sua cabeça estar no lugar. Porque eu não sei o que aconteceu, mas parece que virou moda esse negócio de criticar as pessoas, de graça, ao invés de chegar lá e elogiar. Ou mesmo nem falar nada. As pessoas pensam que do lado de cá a gente não lê, a gente não sente.”
Tubarão usou suas redes sociais no mês de setembro para fazer alertas sobre depressão. Ele diz que no início do projeto teve dificuldades ao tentar agradar a todos:
“Foi um dos motivos da minha depressão. Mas é uma coisa que não tem como. O que acho ‘paia’ é quando o hater vai no seu perfil e fala mal de você: ‘ah, não gosto de você’. Gente, a internet taí pra isso, tem milhares de influencers e você segue quem você quiser. Se você não gosta da pessoa, é só não seguir. Tem gente que gosta.”
Sonhos com a TV
Lucas Batt
Reprodução/Instagram
Em alguns de seus vídeos, Jacques Varnier interpreta uma mãe e diz se inspirar na personagem Dona Hermínia, de Paulo Gustavo.
“Se eu conseguir fazer 1% do que ele fazia, da alegria que ele levava com aquele personagem dele, pra mim já está bom.” Além disso, estre os planos do humorista está “arrumar uma namorada” e “voltar a fazer stand-up”.
O retorno para os palcos também é um dos planos de Lucas Batt. “E estar na TV também, com certeza. Meu sonho é fazer novela, algum programa de TV.”
Atuar na televisão é um plano compartilhado por Tubarão. “Meu sonho de criança e infância era fazer novela. Eu era fã da novela ‘América’.”