Afegãos têm motivos para ter medo, afirma autor de ‘O Caçador de Pipas’


Grupo extremista tomou a capital Cabul neste domingo (15), 20 anos após serem expulsão por tropas dos EUA. Escritor Khaled Hosseini retratou a chegada do talibã ao poder em best-seller mundial. As 7 imagens mais marcantes da tomada do Afeganistão pelo Talibã
Os afegãos que recordam a brutalidade do regime talibã temem com razão a volta dos insurgentes, afirmou o escritor afegão-americano Khaled Hosseini nesta terça-feira (17). Ele é autor de livros de sucesso como “O Caçador de Pipas”.
“Os afegãos conhecem os talibãs. Recordam o que aconteceu da última vez que chegaram ao poder e têm motivos para ter medo”, declarou Hosseini à BBC, que destacou os “excessos” e “restrições draconianas” impostas pelo grupo.
Os afegãos “enfrentam a realidade desagradável de viver sob um regime que se revelou extremamente brutal quando estava no poder na década de 1990”, disse o escritor, para quem os “talibãs não representam a vontade afegã”.
Khaled Hosseini em foto de outubro de 2013
Giuseppe Cacace/AFP/Arquivo
VEJA TAMBÉM:
Entenda a Guerra no Afeganistão
O que é o Talibã, grupo extremista que voltou ao poder no Afeganistão
Os primeiros sinais de que mulheres podem enfrentar retrocesso no país
Khaled Hosseini, que dirige uma fundação de ajuda ao Afeganistão, afirmou em seu site oficial que teme uma “crise humanitária”.
Ele pediu aos Estados Unidos e à comunidade internacional que pressionem os talibãs para que não apliquem “violência punitiva contra os cidadãos afegãos” e para que respeitem os direitos humanos, “em particular os das mulheres e das meninas”.
VÍDEO: Entenda o que é o Talibã, grupo extremista que tomou a capital do Afeganistão
Autor de livros de sucesso que têm suas tramas centradas no Afeganistão, Hosseini pediu no Twitter ao governo dos Estados Unidos que aceite os refugiados afegãos como fez no final da guerra do Vietnã.
O escritor, que afirmou ter votado em Joe Biden, disse que o discurso de segunda-feira (16) do presidente mostrou pouca empatia com a população afegã e criticou a intervenção americana.
LEIA MAIS: Biden defende decisão de retirar militares americanos do Afeganistão
“Para que serviu? Se a presença de mulheres no Parlamento e a escolarização de milhões de meninas melhorou nos últimos anos, tudo isso está em dúvida agora”, declarou.
Initial plugin text