Aéreas brasileiras vão exigir despacho de bagagem de mão acima do padrão


Malas muito grandes atrasam embarques; bagagens grandes demais terão que ser despachadas no check in. Movimentação de passageiros no Aeroporto de Congonhas, Zona Sul de São Paulo
Renato S. Cerqueira/ Estadão Conteúdo
As empresas áreas brasileiras vão intensificar a fiscalização do tamanho das bagagens de mão dos passageiros em voos nacionais dessas companhias a partir desta quarta-feira (10).
De acordo com a Abear, associação que reúne as aéreas brasileiras, o objetivo é agilizar o fluxo dos clientes nas áreas de embarque, evitando atrasos. Desde o início da cobrança pelas bagagens despachadas, muitos passageiros têm optado por levar apenas malas de mão – por vezes de dimensões excessivas –, causando transtornos na hora do embarque na aeronave.
A intensificação da fiscalização será feita por etapas, em 15 aeroportos. Antes de entrar nas áreas de embarque, os passageiros terão que verificar se o tamanho das bagagens está de acordo com os padrões definidos pelas companhias: 55 centímetros de altura x 35 centímetros de largura e 25 centímetros de profundidade.
Nas primeiras duas semanas, os passageiros serão apenas orientados sobre essas normas em vigor. Após esse período, as bagagens que excederem o tamanho permitido terão que ser despachadas nos balcões de check in das companhias aéreas, e estarão sujeitas a cobrança pelo serviço.
Na primeira etapa, em 10 de abril, os passageiros serão orientados sobre as regras nos aeroportos Juscelino Kubitschek (Brasília); Afonso Pena (Curitiba); e Viracopos (Campinas/SP). Em 25 de abril, termina o período de orientação e entra em vigor a triagem das bagagens e obrigação de despacho das que estiverem fora do padrão.
Nas quatro companhias participantes – Latam, Gol, Azul e Avianca Brasil – o valor da bagagem despachada varia entre R$ 59 e R$ 220.
Em 17 de abril, começa a orientação nos aeroportos de Confins (Belo Horizonte), Pinto Martins (Fortaleza), Guararapes (Recife), Luís Eduardo Magalhães (Salvador) e Val-de-Cans – Júlio Cezar Ribeiro (Belém). Duas semanas depois, em 2 de maio, terá início a triagem.
A terceira etapa envolverá os aeroportos de Santa Genoveva (Goiânia), Salgado Filho (Porto Alegre), Congonhas (São Paulo), Internacional de São Paulo (Guarulhos), RIOGaleão – Tom Jobim (Rio de Janeiro) e Santos Dumont (Rio de Janeiro). Em 24 de abril começa a orientação nesses aeroportos, e em 13 de maio, a triagem das malas de mão.