Advogado suspeito de participação em contrabando recebe habeas corpus


Ricardo Bello estava junto com o ex-superintendente de investigações criminais, Thiago Bardal, no dia da operação que flagrou policiais em um porto onde estariam chegando mercadorias contrabandeadas. Ele estava preso desde o dia 27 de fevereiro. Advogado Ricardo Bello estava preso desde o dia 27 de fevereiro e teve habeas corpus concedido nesta segunda-feira (12)
Reprodução/TV Mirante
A terceira câmara criminal de São Luís, em sua maioria, concedeu nesta segunda-feira (12) um habeas corpus para o advogado Ricardo Bello, que estava preso desde o último dia 27 de fevereiro. Ele é suspeito de envolvimento com uma organização criminosa que, segundo as investigações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), atuava no contrabando de bebidas e cigarros com a participação de vários policiais militares, inclusive da alta cúpula da segurança no Maranhão.

Galpão com supostos produtos contrabandeados foi encontrado no bairro Matinha, em São Luís
Reprodução/TV Mirante
No dia 02 de março, o advogado já havia tentado sair da prisão por meio de um habeas corpus, mas o pedido foi negado pelo desembargador Cléber Costa Carvalho.
Segundo a SSP, Ricardo estavajunto com o ex-superintendente de investigações criminais, Thiago Bardal, no dia da operação que flagrou policiais em um porto onde estariam chegando mercadorias contrabandeadas. Segundo as investigações, Bello dava suporte para a organização criminosa.
A prisão de Ricardo Bello ocorreu no mesmo dia em que foi decretada a prisão de Thiago Bardal, no dia 02 de março. Antes da prisão, ele já havia prestado um depoimento com versões diferentes das que foram contadas pelo ex-superindentendente de investigações.
Advogado conta versão diferente de Thiago Bardal em depoimento
Entenda o caso
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, em fevereiro deste ano foi descoberta uma quadrilha de contrabandistas durante uma operação policial que encontrou um porto clandestino localizado no Arraial, no Quebra Pote, em São Luís. O local serviria para descarregamento da mercadoria.
Ex- superintendente de investigações criminais Thiago Bardal está preso desde o dia 02 de março
Reprodução/TV Mirante
Após a exoneração do ex-superintendente de investigações criminais, Thiago Bardal – flagrado no mesmo dia e local da operação -, vários outros policiais tiveram a prisão decretada. Dentre os presos, estão o major Luciano Rangel, que era subcomandante de um batalhão em São Luís.
Rogério Souza Garcia – que já foi vice-prefeito de São Mateus – também está preso. No dia 3 de março, o coronel Reinaldo Elias Francalanci se entregou, prestou depoimento e saiu preso. No mesmo dia foram presos o soldado Gleydson da Silva e o tenente Aroud João Padilha Martins.
O delegado Thiago Bardal também teve a prisão preventiva decretada e se entregou no dia 02 de março.
Justiça determina prisão preventiva de militares suspeitos de contrabando no Maranhão
Advogado conta versão diferente de Tiago Bardal em depoimento
Justiça determina prisão preventiva de militares suspeitos de contrabando no Maranhão

Powered by WPeMatico