Ações da FCA sobem após sócio da Peugeot falar em possível fusão


O novo chefe da FCA, Mike Manley, disse este mês que a montadora está aberta a buscar alianças. Fiat Chrysler Automobiles (FCA)
Rebecca Cook/Reuters
As ações da Fiat Chrysler (FCA) saltaram nesta terça-feira (19) após o presidente da holding FFP, da família Peugeot, dizer ao jornal francês Les Echos que teria apoiado um novo acordo e sugeriu que a Fiat Chrysler estava entre as opções.
“Com eles, assim como com os outros, os planetas podem se alinhar”, disse Robert Peugeot ao ser perguntado sobre alvos para aquisições ou fusões. A Fiat Chrysler (FCA) se recusou a comentar.
As ações da montadora ítalo-americana subiam ao redor de 5% às 9h34 (horário de Brasília), enquanto a Peugeot ganhava 2,7%.
Os comentários da Peugeot vêm na esteira de relatórios do presidente do grupo, Carlos Tavares, de que está aberto a negócios e que a Fiat, General Motors e Jaguar Land Rover podem ser parceiras ideais.
O novo chefe da FCA, Mike Manley, que assumiu após Sergio Marchionne morrer no ano passado, disse este mês que a montadora está aberta a buscar alianças e oportunidades de fusão se fizerem sentido e fortalecerem o futuro da empresa.
A FCA é frequentemente citada como possível candidata a fusão por causa de sua forte exposição ao mercado norte-americano, onde gera a maior parte dos lucros, e devido à suas marcas populares de Jeep, RAM e Maserati.
“A PSA está essencialmente na União Europeia (onde tem 90% das vendas) e a aquisição de uma empresa com alcance mais amplo faria sentido estratégico”, disse o analista da Evercore ISI, Arndt Ellinghorst.
Investidores e analistas seguem cautelosos em apostar em um acordo iminente devido a possíveis obstáculos antitruste.