A quais países os brasileiros podem viajar?


Em meio às restrições em vigor devido à pandemia de Covid-19, renovadas com o temor de uma segunda onda da doença, nunca foi tão difícil para o brasileiro viajar para fora do país. Turismo internacional foi duramente afetado por pandemia de Covid-19
Getty Images via BBC
Em meio às restrições em vigor devido à pandemia de Covid-19, renovadas com o temor de uma segunda onda da doença, nunca foi tão difícil para o brasileiro viajar para fora do país.
Para piorar, o real foi a moeda que mais se desvalorizou em 2020, frustrando ainda mais os planos dos turistas que planejavam deixar o Brasil de férias.
De fato, a maior parte dos principais destinos internacionais ainda não permite a entrada de estrangeiros.
A má notícia é que não há previsão de quando isso vai mudar.
Em contrapartida, a mudança mais recente é o anúncio de que a Argentina reabrirá em breve suas fronteiras aérea e marítima para países vizinhos.
A BBC News Brasil lista abaixo as regrais atuais dos principais destinos de turistas brasileiros no exterior e a quais países a viagem está liberada. Confira.
Estados Unidos
Viajantes são vistos no principal terminal do Aeroporto Internacional de Denver, nos EUA, em 22 de julho de 2020
David Zalubowski/AP/Arquivo
Nos Estados Unidos, que têm o maior número de casos e mortos por Covid-19, restrições a turistas internacionais permanecem em vigor.
Há cerca de um mês, o governo de Donald Trump anunciou a suspensão da restrição dos voos saídos de alguns países, incluindo do Brasil. Mas, na prática, estrangeiros que estiveram no Brasil por 14 dias antes de entrar nos EUA continuam proibidos de entrar em território americano, exceto se forem cidadãos do país, residentes permanentes legais (portadores de green card), familiares imediatos de cidadãos norte-americanos e categorias específicas. Estudantes não estão entre os que foram dispensados das regras.
A regra, portanto, não impede que brasileiros entrem nos EUA. Por isso, houve relatos de alguns tentando entrar via México.
“O comunicado do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA) e a publicação do DHS (Departamento de Segurança Nacional dos EUA) não alteram quem é permitido entrar nos Estados Unidos sob proclamação presidencial”, diz a embaixada dos Estados Unidos no Brasil em nota divulgada em setembro.
Ao mesmo tempo, “as novas medidas implementadas no dia 14 de setembro de 2020 incluirão a interrupção de triagem de saúde aos que chegam de certos países, incluindo o Brasil. O CDC continua recomendando que os viajantes internacionais entrem em quarentena por 14 dias quando viajam de áreas de alto risco”, acrescenta a nota.
União Europeia
Aeroporto de Lisboa, em Portugal, durante pandemia do novo coronavírus
Rafael Marchante/Arquivo/Reuters
O Brasil não faz parte da lista de países cujos cidadãos podem viajar à União Europeia. A regra vale para todos os 27 países-membros do bloco econômico, incluindo, portanto, os principais destinos turísticos de brasileiros na Europa, como Portugal, Espanha, França e Itália.
Mas há exceções: brasileiros que tenham dupla nacionalidade europeia ou que sejam residentes legais nesses países podem viajar à Europa. Passageiros em trânsito e aqueles que estão viajando com finalidade de estudar também têm a entrada liberada. O mesmo se aplica a “profissionais de saúde e de atendimento a idosos e pesquisadores de saúde”. Também estão isentos de veto “passageiros que viajem por motivos familiares imperativos” e “trabalhadores altamente qualificados de países terceiros, se o seu trabalho for necessário do ponto de vista econômico e não puder ser adiado nem executado no estrangeiro”.
A lista completa, sujeita a atualizações, pode ser encontrada no site da Comissão Europeia.
Reino Unido
Passageiros chegam ao aeroporto de Heathrow, em Londres
Toby Melville/ Reuters
O Reino Unido, deixou a União Europeia e termina o processo de transição em janeiro do ano que vem, concretizando o chamado “Brexit”, permite a entrada de turistas brasileiros.
Mas antes de chegar ao país, todo viajante, mesmo que em trânsito, deverá preencher individualmente um formulário online.
Os menores de 18 anos poderão ser incluídos no formulário do maior responsável, desde que cheguem e partam do Reino Unido juntos e que fiquem hospedados no mesmo endereço no país.
O formulário deve ser preenchido com antecedência máxima de 48 horas da chegada ao Reino Unido.
A quarentena de 14 dias para quem vem do Brasil é obrigatória.
Apesar disso, segundo o Consulado brasileiro em Londres, “algumas companhias aéreas não estão autorizando turistas brasileiros a embarcarem com destino ao Reino Unido. Sugerimos contatar a companhia aérea antes de adquirir o bilhete desejado”.
Argentina
As fronteiras da Argentina estão fechadas para estrangeiros e não-residentes. Segundo informou neste sábado (24) o ministro de Turismo do país, Matiías Lammens, as fronteiras serão reabertas para países vizinhos, incluindo Brasil, a partir de novembro.
A entrada só será autorizada por enquanto, segundo ele, por via aérea (pelo aeroporto de Ezeiza) e marítima (pelo porto de Buenos Aires), e não pelas fronteiras terrestres. Não será exigida quarentena. Acredita-se que um exame de coronavírus será realizado na chegada dos visitantes, ou será solicitado que tragam um exame negativo.
Chile
As fronteiras do Chile estarão fechadas para estrangeiros e não-residentes só até esta segunda-feira (26). Por enquanto, chilenos e estrangeiros com residência no Chile que entrem no país têm que cumprir quarentena obrigatória de 14 dias.
Japão
Brasileiros e demais estrangeiros não podem entrar no Japão.
Austrália
As fronteiras da Austrália estão fechadas. Os únicos que podem entrar no país são australianos, residentes, familiares imediatos e viajantes que estiveram na Nova Zelândia nos 14 dias anteriores.
A quais países os brasileiros podem viajar?
Aviões da Latam parados no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, em foto do dia 7 de agosto de 2020.
Antonio Molina/Estadão Conteúdo
Alguns países do mundo permitem a entrada de turistas brasileiros, sem restrições.
Entre eles, estão por exemplo, México, Turquia e Sérvia.
No caso do México, turistas estrangeiros devem preencher o formulário “Questionário de Identificação de Fatores de Risco em Viajantes”, disponível no site do governo mexicano.
Já no caso da Turquia, a entrada é permitida, mas autoridades continuam a realizar triagem médica nos aeroportos do país. Caso apresentem sintomas, os viajantes serão submetidos a testes. E se testarem positivo, receberão tratamento médico.
A Sérvia permite que turistas viajem ao país sem teste obrigatório ou isolamento, com exceção dos que chegam da Croácia, Bulgária, Macedônia do Norte e Romênia.
Outros países aceitam receber turistas brasileiros, desde que cumpridas certas condições, como apresentação do teste negativo para Covid-19. É o caso do Equador e da Colômbia, na América do Sul. Ou da Bósnia e Herzegovina e da Ucrânia, na Europa.
Na Ásia, a Coreia do Sul permite a entrada de estrangeiros, independentemente da nacionalidade, mas é obrigatório submeter-se a um teste para Covid-19 e fazer quarentena de 14 dias. Porém, todas as isenções de vistos para países isentos desse documento, como é o caso do Brasil, foram suspensas.
Na África, o Egito reabriu suas fronteiras, mas exige que estrangeiros que não morem no país apresentem teste PCR negativo para Covid-19 realizado com, no máximo, 72 horas de antecedência. Além disso, o seguro saúde é obrigatório. O turismo está limitado a resorts em três províncias litorâneas.