A mensagem não publicada de apresentadora encontrada morta após acusação de agressão a namorado


A família de Caroline Flack, de 40 anos, divulgou uma postagem não publicada da apresentadora no Instagram, que ela teria escrito dias antes de cometer suicídio. ‘A verdade foi tirada das minhas mãos e usada como entretenimento’, escreveu Caroline Flack
Getty Images via BBC
A ex-apresentadora do reality show “Love Island” teria sido encontrada enforcada em seu apartamento em Londres no último sábado (15).
Ela estava aguardando julgamento da acusação de ter agredido o namorado, o tenista Lewis Burton, com uma lâmpada em dezembro.
A postagem inédita foi divulgada pouco antes do início do inquérito, aberto nesta quarta-feira (19), para investigar a morte de Flack.
Na publicação, Flack escreveu que “seu mundo e seu futuro foram arruinados” quando ela foi presa acusada de ter agredido o namorado, acusação que ela sempre negou.
A mãe da apresentadora, Chris Flack, compartilhou o texto por meio do jornal britânico Eastern Daily Press.
Ao jornal, ela contou que a filha havia enviado o texto a ela em janeiro, mas havia sido aconselhada por assessores a não publicar.
“Tantas inverdades foram ditas por aí, mas era assim que ela se sentia, e minha família e eu gostaríamos que as pessoas lessem suas próprias palavras.”
“Carrie era cercada de amor e amigos, mas isso tudo foi demais para ela”, declarou a mãe da apresentadora ao Eastern Daily Press.
Na mensagem, Caroline Flack escreveu:
“Em 12 de dezembro de 2019, fui presa por agredir o meu namorado”.
“Em 24 horas, meu mundo e meu futuro foram arruinados e todas as paredes que eu levei tanto tempo para construir ao meu redor desmoronaram.”
“De repente, estou em um tipo diferente de palco e todo mundo está assistindo isso acontecer.”
“Eu sempre assumi a responsabilidade pelo que aconteceu naquela noite.”
“Até mesmo naquela noite. Mas a verdade é que… Foi um acidente.”
“Eu venho tendo um tipo de colapso emocional há muito tempo.”
“Mas eu NÃO sou uma abusadora doméstica. Tivemos uma discussão e aconteceu um acidente. Um acidente. O sangue que alguém VENDEU a um jornal era MEU sangue, e isso foi algo muito triste e muito pessoal.”
“A razão pela qual estou falando hoje é porque minha família não aguenta mais. Perdi meu emprego. Minha casa. Minha capacidade de falar. E a verdade foi tirada das minhas mãos e usada como entretenimento.”
Flack se declarou inocente da suposta agressão em uma audiência em 23 de dezembro e foi libertada após pagamento de fiança sob a condição de não entrar em contato com Burton até o julgamento, que estava previsto para começar em março.
O advogado da apresentadora fez um pedido para que a condição da fiança fosse suspensa, argumentando que Flack e Burton continuavam sendo um casal e queriam passar o Natal juntos.
A acusação de agressão
Em 12 de dezembro, a polícia foi chamada para atender uma ocorrência na casa da apresentadora em Islington, no norte de Londres, onde ela morava com Burton.
Caroline Flack, apresentadora britânica, em evento beneficente em Edimburgo
Scottish Beauty Blog/Creative Commons
A polícia teria encontrado o casal coberto de sangue.
“Ele disse que estava dormindo e foi atingido na cabeça por Caroline com uma lâmpada, causando um corte visível na cabeça”, declarou a promotora Katie Weiss.
“Ela também quebrou um copo e sofreu uma lesão.”
O tribunal ouviu como Burton telefonou para o 999, telefone de emergência, e “quase implorou ao operador para enviar ajuda”.
Burton não apoiou, no entanto, a abertura do processo contra a namorada e saiu em defesa dela.
Em um post emocionado no Instagram, Burton prestou uma homenagem póstuma a Flack e disse que os dois tinham “algo especial”. “Estou com o coração partido.”
Na publicação, acompanhada de uma foto do casal em um bar na praia, ele prometeu que “tentaria fazer a apresentadora se orgulhar todos os dias”.
Initial plugin text
No fim do ano passado, Burton declarou que a namorada estava sendo vítima de uma “caça às bruxas” desde que foi acusada de agressão.
E descreveu a apresentadora no Instagram como “a garota mais adorável”.
“Estou cansado das mentiras e dos abusos contra a minha namorada. Não é uma caça às bruxas, é a vida de alguém”, escreveu.
Ataques nas redes sociais
As redes sociais estão sob escrutínio em meio à busca por explicações e culpados pelo suicídio de Flack — assim como a grande imprensa e o Crown Prosecution Service (CPS), o Ministério Público britânico, por levar adiante o julgamento, mesmo depois de o namorado da apresentadora dizer que era contra a acusação.
A morte da apresentadora gerou não apenas uma onda de tristeza, mas um grande movimento para que seja um divisor de águas no tratamento que as celebridades recebem nas redes sociais e na imprensa.
Na noite em que apresentou a primeira edição ao vivo do programa “The X Factor” em 2015, Flack não estava nas nuvens por ter alcançado mais um feito na carreira. Ela estava aos prantos depois de ler os comentários nas redes sociais.
“A reação foi avassaladora, porque eu não pensei que as pessoas falariam sobre minha aparência, sobre minha postura, a forma como ando ou como rio.”
“Nem todo mundo vai gostar de você o tempo todo, nem todo mundo vai pensar que você é linda, mas há uma diferença entre opinião e abuso”, desabafou na época.
Esta é uma declaração com a qual muitas celebridades — principalmente mulheres — podem se identificar.
Em sua última audiência, em 23 de dezembro, em que se declarou inocente, a apresentadora parecia estar com dificuldade em lidar com a repercussão na imprensa e a pressão do tribunal.
Caroline Flack chega ao tribunal em 23 de dezembro
PA Media via BBC
No dia seguinte, véspera de Natal, ela escreveu no Instagram que “esse tipo de escrutínio, de especulação é demais para uma pessoa enfrentar por conta própria”.
Ninguém vai saber realmente o que Flack estava pensando — e as razões para qualquer suicídio, em geral, são numerosas e complexas.
Além de ganhar os holofotes, a apresentadora foi afastada do reality show Love Island após ser indiciada; foi proibida pelo tribunal de entrar em contato com o namorado; e seria julgada por abuso doméstico.
A mensagem que ecoou mais alto após a morte de Flack foi para que as pessoas “sejam gentis”, especialmente nas redes sociais.