99 brasileiros morreram por gripe em 2019, aponta novo boletim do ministério


Maior parte das vítimas sofreu infecção pelo vírus A (H1N1) e apresentava fatores de risco, como idosos, pessoas com doença crônica, crianças, gestantes e puérperas. Vacinação contra a gripe acontece até o dia 31 de maio
Daniel Castellano/SMCS
Até o último dia 27 de abril, 99 brasileiros morreram devido à Síndrome Respiratória Aguda Grave por influenza, a gripe, em todo o país. Ao todo, 535 pessoas precisaram ser hospitalizadas. As informações são do novo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (9).
Entre as mortes da doença, 90% (88 pessoas) apresentavam fatores de risco, como idosos, portadores de doenças crônicas, crianças, gestantes, indígenas e puérperas. Todos esses grupos têm direito à vacina contra a gripe e fazem parte do público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação, que ocorre nas unidades de saúde até dia 31 de maio.
Campanha de vacinação contra gripe tem meta de imunizar 58 milhões de pessoas
Vacina da gripe 2019: o que há de novo?
O vírus A (H1N1) é o mais recorrente e também é o que mais mata: foi responsável por 254 casos e por 89 vítimas. Além dele, foram identificados 54 casos de influenza A (H3N2), 38 de influenza A não subtipado, e 62 de influenza B. Os outros 127 registros não tiveram subtipo identificado.

Campanha Nacional
A vacina contra a gripe de 2019 está disponível para 59,5 milhões de brasileiros. A escolha do público-alvo é determinada de acordo com recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).
O último balanço da cobertura vacinal contra a doença, divulgado em 7 de maio, apontou que 45,3% haviam se vacinado. As puérperas são o grupo com maior adesão: 64,3% receberam a dose. Apenas 10,9% dos profissionais das forças de segurança e salvamento estão protegidos, menor índice entre os incluídos no público-alvo.