40 anos sem Bob Marley: Artistas do reggae citam músicas favoritas que marcaram legado do cantor


Zeider, do Planta & Raiz, Tales, do Maneva, e outros cantores falam sobre ícone jamaicano, que morreu em 11 de maio de 1981, vítima de câncer. Artistas e músicos do reggae escolhem músicas pra representar o legado de Bob Marley
Bob Marley marcou a história da música e inspirou muitos artistas com suas canções de paz, positividades, mas que também traziam discursos com críticas sociais.
Quarenta anos após a morte do artista, ícones nacionais do reggae atenderam ao convite do G1 e citaram músicas que representam o legado de Bob Marley. Assista ao vídeo.
Bob Marley: 40 anos sem astro do reggae; FOTOS
“Há 40 anos Bob deixava esse plano, e também deixava o legado no nosso coração da música, da união, da paz, do amor, da vida”, afirmou Zeider, vocalista do Planta & Raiz, que citou a canção “Natural Mystic”. “Pra mim, ela significa evolução espiritual já.”
Já Tales, do Maneva, escolheu “Time you tell”. “Ela traz essa parada que a gente acredita muito, acredita no destino, acredita que as coisas são do jeito que tem que ser que a gente já nasce aqui com uma pré-disposição a fazer as coisas que a gente precisa fazer.”
Vitin, líder da 11:20, foi de “Redemption Song”. “Essa é a música que diz que nos prova de que apenas temos o controle sobre a nossa mente, sobre o que a gente pensa.”
Fauzi Beydoun, da Tribo de Jah, cantou um trecho de uma versão em português de “Guiltiness”.
“Bob impactou o planeta com suas canções, lindas canões, canções românticas, politizadas libertárias, são ytantas, difícil escolher uma. Mas depois de tantos anos, fiquei impactado com essa letra de ‘Guiltiness’.”
O cantor Dada Yute foi de “Bad Card”. “A Importância do legado pra mim é que é a própria confirmação todo jovem de periferia, de quebrada chegar no topo. E ‘Bad Card’ porque ele fala nessa música que vocês vão enjoar de ver minha cara na televisão.”
Imagem de Bob Marley no ‘Museu Bob Marley’, em Kingston, Jamaica
Jorge Reyes/Mexsport/Mexsport via AFP/Arquivo