Suspeito de envolvimento na morte de policial civil é morto em troca de tiros no AP


Alexssandro Lobato Leão trocou tiros com policiais no residencial São José, em Macapá, na madrugada deste sábado (21). Ele teria articulado assalto que deixou morto o policial Asplênio. Alexssandro Lobato Leão, morto neste sábado (21), é apontado como envolvido no assassinato de policial civil, em Macapá
Polícia Civil/Divulgação
Um jovem de 25 anos, suspeito de envolvimento na morte do policial civil Asplênio da Costa Ribeiro, ocorrida na terça-feira (17) em Macapá, morreu após uma troca de tiros com a Polícia Militar (PM) do Amapá, na madrugada deste sábado (21). Alexssandro Lobato Leão foi apontado como um dos mandantes do crime, em depoimentos dos outros quatro suspeitos, que estão presos.
O tiroteio desta madrugada ocorreu no bloco 2 do residencial São José, localizado no bairro Congós, na Zona Sul da capital. Conforme o registro da PM, uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi ao local para realizar a prisão do suspeito e foi surpreendida por disparos feitos pelo mesmo.
Jovem suspeito de homicídio estava com colete e revólver ao ser abordado
Divulgação/Polícia Militar
Os policiais revidaram e atingiram Alexssandro com dois tiros. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local, segundo o Bope. A polícia apreendeu com ele um revólver e um colete à prova de balas.
O tenente Hercules Lucena, Bope, informou que ele já foi preso outras vezes, por envolvimento em homicídios, tráfico de drogas e porte ilegal de armas.
“Inclusive ele já foi preso nos estados do Amazonas e Pará e foi encaminhado para cá. Ele tem envolvimento em, pelo menos, outros três homicídios”, destacou. O corpo do jovem foi removido pela Polícia Técnico-Científica (Politec).
Segundo o delegado Ronaldo Coelho, Alexssandro Leão seria o quinto envolvido na morte de Asplênio
Jéssica Alves/G1
Um dos homicídios aconteceu em 2016, de acordo com o delegado Ronaldo Coelho, titular da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (Decipe). Ele é apontado como autor da morte de Janderson Brito Machado, e tentativa de homicídio de outra pessoa. Ele chegou a ser preso temporariamente, mas foi liberado.
“Ele ainda aguardava julgamento por esses crimes. Os quatro presos dessa semana citaram ele como sendo um dos integrantes, que ele estaria no carro, armado. Fazendo uma análise deste caso de 2016, foi revelado que ele é articulador de grupos que cometem assaltos em Macapá. Provavelmente ele era um dos articuladores dessa quadrilha. Agora se ele foi morto, não vamos ter certeza da real participação dele”, disse o delegado.
Morte de policial
Asplênio da Costa Ribeiro era policial civil do Amapá
Redes Sociais/Divulgação
A morte de Asplênio ocorreu na noite de terça-feira (17), em um estabelecimento comercial na Zona Sul de Macapá. Ele estava em frente ao local, quando dois homens armados chegaram e anunciaram o assalto. O policial reagiu e tentou tirar a arma de um dos criminosos.
Imagens gravadas por uma das câmeras de segurança mostram o momento em que um carro branco se aproxima pela rua ao lado do comércio. Os dois assaltantes saem e andam em direção ao comércio. O carro fica dando apoio esperando por eles.
Pouco tempo depois os dois voltam correndo, entram no veículo, que foge em seguida. Asplênio levou tiros no tórax e no abdômen. Outro policial civil que estava próximo o socorreu e o levou para o Hospital de Emergência, mas ele não resistiu e morreu logo após dar entrada na unidade.
O último jovem que se entregou à polícia, na madrugada de quinta-feira (19), disse ser o autor dos disparos que atingiram a vítima. Com a prisão do suspeito dos tiros, a Polícia Civil diz que já tem o detalhamento de como o fato ocorreu.
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Powered by WPeMatico

Radialista sofre tentativa de homicídio na BR-364 em Jaru, RO


Dois homens em uma motocicleta atiraram contra a caminhonete do radialista. A vítima foi levada ao Hospital Municipal de Jaru. Após os tiros, a vítima perdeu o controle do veículo
Rinaldo Moreira/G1
Um radialista de 50 anos foi atingido por três tiros na tarde de sexta-feira (20), quando trafegava pela BR-364 em Jaru (RO). A caminho de Ouro Preto do Oeste, num trecho conhecido como a curva da morte, dois homens em uma motocicleta preta atiraram contra o veículo. A vítima foi levada ao hospital municipal de Jaru.
A ocorrência foi registrada como tentativa de homicídio. No local do crime a Polícia Militar constatou que, após ser atingido pelos disparos, o radialista perdeu o controle da direção do veículo, saiu da pista e parou no mato às margens da estrada. Os atiradores fugiram por uma estrada vicinal.
Segundo a polícia, três tiros atingiram a vítima
Rinaldo Moreira/G1
Após o término da pericia, ocorrência foi registrada na Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp).
Veja mais notícias da região no G1 Vale do Jamari e Região

Powered by WPeMatico