Guias turísticos de Paris protestam por apoio do governo da França após crise no setor causada pela pandemia


Estimativa é que demorem meses para que o turismo na capital francesa retome patamares anteriores ao novo coronavírus. Guias turísticos exibem retratos da Mona Lisa em frente ao Louvre, em Paris, durante protesto por apoio do governo da França, nesta segunda-feira (6)
Christian Hartmann/Reuters
Dezenas de guias turísticos de Paris usando máscaras e segurando retratos de Mona Lisa protestaram na frente do museu do Louvre nesta segunda-feira por mais apoio do governo da França para ajudá-los a superar a crise proporcionada pelo novo coronavírus e a escassez de turistas.
Eles se reuniram perto da pirâmide de vidro do Louvre quando o museu reabriu aos visitantes pela primeira vez em quatro meses após a determinação de isolamento.
Em maio, a França anunciou medidas no valor de 18 bilhões de euros para apoiar o setor de turismo contra os danos causados ​​pela pandemia global.
Com retratos da Mona Lisa, guias turísticos protestam em frente ao Louvre, em Paris (França), nesta segunda (6)
Christian Hartmann/Reuters
Mas a manifestante Margot Schmitz disse que esses recursos não estavam chegando a guias turísticos como ela, a maioria com contratos de curto prazo e enfrentando dificuldades financeiras.
“O governo está ficando surdo”, afirmou Schmitz à Reuters antes do protesto. “Não temos voz.”
Pode levar meses para que estrangeiros volte para Paris em números anteriores à crise.
O Louvre disse que esperava 7 mil visitantes nesta segunda-feira, mas depois da movimentação inicial os gerentes preveem que os números serão apenas um quinto dos níveis pré-surto — provavelmente contribuindo para uma experiência mais calma do que a habitual.
Guias turísticos protestam em frente ao Louvre e pedem mais apoio do governo
Initial plugin text

Please enter banners and links.

Charlie Daniels, cantor do hall da fama da música country, morre aos 83 anos


Ganhador do Grammy pela canção ‘The Devil went down to Georgia’ sofreu um AVC nesta segunda-feira (6). Charlie Daniels toca o violino em apresentação com sua banda em 2016
Harrison McClary/Reuters
Charlie Daniels, um dos grandes nomes da música country dos Estados Unidos, morreu nesta segunda-feira (6) aos 83 anos. Ele sofreu um acidente vascular cerebral (AVC).
O líder da Charlie Daniels Band ficou conhecido pelo grande sucesso da canção “The Devil went down to Georgia”, pela qual ganhou um Grammy em 1979.
Daniels começou a carreira nos anos 1960 como músico de gravações ao tocar guitarra, baixo, violino e banjo em discos de artistas como Bob Dylan, Ringo Starr e Leonard Cohen.
Em 1971, formou a Charlie Daniels Band, um grupo de country-rock conhecido por improvisos e a mistura de diversos gêneros. Em 2016, ele foi integrado ao hall da fama do country.

Please enter banners and links.