Depois de ser adiado, Salão do automóvel de Nova York de 2020 é cancelado por causa do coronavírus


Evento aconteceria primeiro em abril, e havia mudado para agosto. Antes dele, mostras automotivas de Genebra, Paris e Detroit foram canceladas pela mesma razão. Salão de Nova York em 2016
Shannon Stapleton/Reuters
A organização do Salão de Nova York anunciou o cancelamento da edição 2020 por causa do novo coronavírus.
O centro de convenções onde o evento aconteceria está sendo usado como hospital de campanha durante a pandemia o que impediu realizar o evento em agosto, como estava planejado.
A nova data para o salão será apenas em 2021, de 2 a 11 de abril. Antes do cancelamento em definitivo, o Salão de Nova York de 2020 foi adiado de abril para o final de agosto, a partir do dia 28, mas continuação da pandemia impediu sua realização.
“Devido à incerteza causada pelo vírus, achamos que não seria prudente continuar com o salão de 2020 e, em vez disso, estamos nos preparando para um 2021 ainda maior”, disse a organização do evento.
Coronavírus causou o adiamento do Salão de Pequim, o principal da Ásia em 2020
Principal feira automotiva da Europa, Salão de Genebra foi cancelado às vésperas da abertura
Saiba tudo sobre o novo coronavírus
O Salão de Nova York é mais um grande evento automotivo afetado pela propagação do coronavírus. Antes dele, o Salão de Pequim havia sido adiado – e ainda não tem uma data definida. Já o Salão de Genebra, o principal da Europa, e que abriria as portas ao público em 5 de março, foi cancelado quatro dias antes das apresentações para a imprensa.
Paris e Detroit, que aconteceriam, respectivamente, nos próximos meses de junho e outubro também não terão edições em 2020.

Please enter banners and links.

Inep divulga critérios para correção da redação do Enem; objetivo é ajudar estudantes a se prepararem para a prova


Aulas estão suspensas em todo o Brasil. Apesar da divulgação do material, parte dos candidatos pode não ter acesso à ele: 66% dos brasileiros de 9 a 17 anos não acessam a internet em casa. Estudantes se preparam para Enem 2020 por meio de atividades remotas; aulas estão suspensas em todo o país devido à pandemia do coronavírus.
Agência Brasil
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou nesta terça-feira (26) as apostilas de capacitação dos corretores de redação, elaboradas para a edição de 2019. De acordo com o instituto, o objetivo é auxiliar os estudantes na preparação para a prova de 2020, dando acesso aos critérios de correção.
Ao todo são seis apostilas que podem ser baixadas no site do Inep. Segundo o instituto, o material descreve as situações que levam à nota zero e traz detalhes das cinco competências avaliadas na redação do Enem.
“Todas as provas do exame, inclusive as acessíveis, também estão disponíveis para download no portal, juntamente com o respectivo gabarito. Além disso, participantes surdos têm todas as questões das videoprovas à disposição na plataforma”, informa o Inep.
Com aulas suspensas em todo o Brasil devido à pandemia do coronavírus, estudantes dizem estar apreensivos sobre o exame. O desempenho no Enem conta como critério de seleção para a disputa em vagas de universidades federais pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), e também é adotado por algumas instituições de ensino como parte do vestibular.
Estudantes, pais e professores narram ‘apagão’ do ensino público na pandemia; em 7 estados e no DF, atividade remota não vai contar para o ano letivo
Apesar da divulgação do material, parte dos candidatos pode não ter acesso à ele: 66% dos brasileiros de 9 a 17 anos não acessam a internet em casa.
A situação dos estudantes foi critério para a decisão do Ministério da Educação (MEC) e Inep de prorrogar o prazo de inscrição para o exame. Pelo cronograma inicial, a inscrição poderia ser feita até sexta-feira (22). Agora, vai até 23h59 desta quarta-feira (27).
Em nota, o Inep afirmou que a mudança ocorre após uma reunião da instituição com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). O conselho havia enviado um ofício ao Inep pedindo que as inscrições fossem prorrogadas até junho. Entre as justificativas, estava a dificuldade de acesso à internet de parte dos estudantes da rede pública de ensino, já que eles estão afastados das escolas devido à pandemia.
A data do exame também está indefinida. Após pressão de entidades estudantis, campanhas de estudantes nas redes sociais e pressão do Senado, que aprovou um projeto de lei sobre a alteração no cronograma do exame, o governo decidiu suspender a prova, marcada inicialmente para novembro. As novas datas serão escolhidas por meio de uma enquete com os participantes.
Initial plugin text

Please enter banners and links.